|

Eis o que não se sabe sobre a venda do Hospital Espírita Bom Retiro

 

Vista aérea do espaço onde está instalado o Hospital

Há muito mais do que  se pode imaginar por trás da operação de venda de uma das áreas mais valiosas de Curitiba, aquela de 60 mil metros quadrados, onde se localiza o Hospital Espírita Psiquiátrico Bom Retiro, no bairro do mesmo nome. Fica a 5 minutos da Praça Tiradentes, o marco zero da cidade. E deve envolver pelo menos R$ 60 milhões, o valor estimado, “por baixo”, do imóvel.

As versões são as mais variadas possíveis, e a presidência da Federação Espírita do Paraná, que decidiu pela alienação desse patrimônio que é também da comunidade em geral, só se pronunciou por meio  de cartas.

PARA ELIEL VALÉRIO

Uma delas  a carta  que o presidente da FEP enviou ao professor Eliel Valério Scussel, da Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas, com explicações superficiais sobre a operação imobiliária.

A coluna apurou junto a fontes seguras da FEP as informações que seguem. Elas têm sido constantes motivos de debates e lamentos, especialmente dos 15 conselheiros da FEP que representam Curitiba. São os chamados “conselheiros da Capital”, que fazem parte do total de 40 membros do colegiado que deve gerir a  instituição.

Além desses 15 conselheiros  “da Capital”, os demais representam  cidades do interior do Paraná. Estes do interior estariam “distantes da realidade onde se localizam os bens e as necessidades materiais da FEP”, conforme alega um dirigente da Federação Espírita do Paraná inconformado com a operação de venda do imóvel doado por Lamenha Lins.

COMEÇOU COM DÍVIDA

A alienação do vasto imóvel de 60 mil metros quadrados, com  30 mil metros quadrados de área de preservação ambiental, foi decidida em assembléia do Conselho da FEP neste ano. A alegação: a necessidade de  arrecadar fundos para cobrir débitos da FEP junto a bancos, para assim honrar empréstimos que totalizavam – inicialmente – R$ 5 milhões. Hoje, amortizada parte desses empréstimos feitos em bancos de segunda linha, a dívida está ainda em R$ 3 milhões.

PRIMEIRO ERRO: CONSELHO IGNORADO

“O primeiro erro”, aponta um advogado ligado ao mundo kardecista, depois de examinar os estatutos da FEP (são públicos, disponíveis até na web para consulta) – “foi não ter sido ouvido o Conselho da Federação” para a operação financeira.

Os estatutos, em situações como a dos empréstimos financeiros realizados, determinam que  essas operações só se façam com a aquiescência de 3/40 dos conselheiros. E os conselheiros foram ignorados, neste caso.

 As dívidas foram assumidas nos últimos dois anos, e as operações bancárias à margem do Conselho foram realizadas em 2010. Desconhecem-se as  operações  cobertas pelos empréstimos.

CYRELLA, ROSSI…

Sem apontar “culpados a piori”, mas estranhando “a marcha dos acontecimentos”, o mesmo advogado reconhece que diversos empreendedores foram consultados e avaliaram a possibilidade de negociar com a FEP. Dentre os empreendedores e incorporadores mais conhecidos, citou a Cyrella e a Rossi. A escolha acabou recaindo sobre uma empresa paranaense. A empresa, em princípio, teria um portfólio de eficiência empresarial.

Assim, em junho/julho deste ano, a direção da FEP e seu Conselho aprovaram a operação de alienação do imóvel erguido nos anos 1920 do século passado, e que vem desde então atendendo a população pobre com apoio psiquiátrico. A clientela é basicamente do SUS, assim cumprindo mandamento da doutrina kardecista, de apoio aos necessitados.

TERMINA EM JUNHO

Em junho de 2012 termina o prazo dado pelo novo proprietário do imóvel em que ainda é mantido o Hospital Espírita do Bom Retiro. O acordo assinado com a FEP foi de 12 meses de prazo para a desocupação do imóvel.

DOZE TORRES

No local, o incorporador construirá  de12 a14  torres residências, cujas dimensões dependerão do que for aprovado na Prefeitura de Curitiba. O incorporador erguerá uma torre corporativa, para comércio, escritórios e empresas.

Para a FEP caberá, como contrapartida pela entrega do precioso e imenso terreno, uma torre corporativa de 10 mil m2; terá 4 a6 andares, ainda na dependência do que for estabelecido pela Prefeitura. E ainda  será entregue à  Federação: um lote de 150 garagens, cujo destino será a locação.

NO ANTIGO ALBERGUE: TUDO PARADO

Agora acaba se revelando a intenção da Presidência da Federação Espírita do Paraná: ela pretende realocar o Hospital Espírita Psiquiátrico do Bom Retiro para o imóvel onde, por anos, funcionou – em sua segunda fase – o Albergue da FEP. Fica no Jardim da Américas, atrás do BIG da Avenida das Torres.

Ocorre que, faltando seis meses para a desativação do hospital no Bom Retiro, não há sinais de qualquer  obra no antigo albergue.

Para técnicos arquitetos ouvidos, “o imóvel é inadequado para instalar um hospital.” Tem apenas 3.000m2, mais um barracão de700 m2. “No mínimo terá de ser erguida uma nova construção de 1.000m2”.

REMÉDIO DA JUSTIÇA

Se do ponto de vista de obras as coisas não caminham, sabe-se, no entanto, que o remédio jurídico para sustar a operação de venda do imóvel do Bom Retiro já começa a ser considerada pelos 15 conselheiros da Capital. Que linha de defesa adotarão, não se sabe. Mas garantem que “a operação deixou muitas brechas que a justiça precisa apreciar”.

CIRANDA DE CADEIRAS

Francisco Ferraz: presidiu as negociações

Em outubro deste 2010 Paulo Henrique Silva, que era vice-presidente da FEP, foi eleito presidente da instituição; e o antigo presidente, responsável pela operação de venda do terreno, Francisco Ferraz Batista, passou a ocupar a vice-presidência da FEP.

 Houve, pois, uma troca de posições.

GLEISI, COM DUCCI, AUTORIZARÁ PAC DA COPA

Gleisi Hoffmann: na autorização

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, aceitou o convite do prefeito Luciano Ducci e os dois assinarão neste sábado, 17, às 9 horas, no Salão Curitiba da Prefeitura,a autorização para licitação do PAC da Copa. O ato deveria ocorrer nesta sexta, mas em função da agenda de Gleisi foi transferida para sábado.

As obras incluem a construção da ponte estaiada na Avenida das Torres com a Rua Francisco dos Santos, a trincheira da Rua Guabirotuba sob a Avenida das Torres, a reconstrução e ampliação do terminal Santa Cândida e a implantação do Sistema Integrado de Monitoramento.

O ato, além da relevância que tem para a montagem da infraestrutura de Curitiba com vistas à Copa, mostra um cordial relacionamento entre as duas autoridades, que vivem, polidamente, momentos políticos bem contrários, com Gleisi não escondendo sua simpatia por Gustavo Fruet, virtual candidato do PDT à sucessão de Ducci.

Luciano Ducci: o PAC da Copa

O IRMÃO CLÁUDIO

Quem circulou, na semana, em Curitiba, foi o advogado Cláudio Fruet, irmão de Gustavo, comandante de uma respeitável banca advocatíciaem Brasília.

Sabe-seque entre os roteiros cumpridos
por Cláudio houve contatos com colegas advogados, especialmente com os que comporão a equipe jurídica da campanha de Gustavo,
já definida.


“NÃO SOU SUBSTITUTO DE MINHA AMIGA RUTH BOLOGNESE”

Se alguém quer deixar Fábio Campana danado da vida, pergunte-lhe se ele” vai substituir Ruth Boloneses, na Rede Massa?” O jornalista perde  as estribeiras, diz que há  “uma rede de intrigas tentando me intrigar com o Governo”. E que apenas foi, anteontem, ao programaem que Ruthé uma dos apresentadores, a convite da emissora. “Não  sou assessor do Ratinho e de ninguém.  Não sou substituto de minha amiga Ruth, que apenas está de férias.”

“QUE ABSURDO”

Ruth Bolognese: de férias, somente

Fábio citou à coluna ser comum, na Rede Massa, o convite a jornalistas de outros veículos, quando alguns dos titulares do noticiário matutino entram de férias.

Ontem, por exemplo,lembrou, o convidado foi Paulo Pimentel, um dos próximos será José Wille.

Celso Nascimento foi convidado.

Ruth Bolognese, ouvida pela coluna, assim se saiu: “Que absurdo, o Campana é meu amigo, não me substituiu.

O rodízio de convidados, quando alguém está de férias, é comum.

E eu estou de férias até 15 de janeiro”, garantiu.
/

QUANTO NOS CONHECEMOS?

O SIITEP- Sindicato das Industrias e Empresas de Instalação,Operação e Manutenção de Redes, Equipamentos e Sistemas de Telecomunicações do Estado do Paraná, por seu Presidente, CONVIDA V.s, para o coquetel de lançamento do Livro: “O que sabemos sobre nós mesmos?” de autoria de nosso Diretor Alexandre Schlegel. Será amanhã, às 19h30 min, na sede do CITIEP.

O livro contém indagações e algumas respostas sobre o sempre estimulante tema ciência e fé.

“PARTÍCULA DE DEUS”, A NOTÍCIA

A propósito do mesmo assunto:

Os cientistas estão chegando à “partícula de Deus”. Pode ser uma grande novidade para os que se alimentam unicamente da ciência, mas não para os que vêem além do visível.

Nestas horas me lembro de um livro que tem tudo a ver com a notícia que corre o mundo. É   “O que crêem os que não crêem”, resumo de diálogos entre os escritor Umberto Ecco e o cardeal Martini. Aliás, fica como sugestão de presente natalino.

 

Comente!

Spam Protection by WP-SpamFree

Free WordPress Theme